Saving em compras: entenda o que é, os tipos e como conseguir saving com itens indiretos

saving em compras

Saving em compras: entenda o que é, os tipos e como conseguir saving com itens indiretos

Quem participa das atividades de gestão de um departamento sabe que os indicadores são grandes aliados da empresa. O saving em compras é um bom exemplo disso. Quando bem mensurado, ele oferece uma base para tomadas de decisão mais inteligentes e que trazem benefícios financeiros para a organização.

Mas, afinal, o que significa exatamente esse conceito? Por que ele é tão importante? Quais são os diferentes tipos de saving em compras? Como eles se relacionam com o gerenciamento de estoque?

Criamos este artigo especial para responder essas e outras perguntas, além de dar algumas dicas para você conseguir saving em alguns processos do seu dia a dia. Confira!

O que é saving em compras?

O saving é um tipo de indicador, ou KPI, cujo termo original em inglês pode ser traduzido como a prática de economizar dinheiro. Na prática, ele é utilizado para calcular em que medida os custos da empresa estão sendo reduzidos. Logo, o saving em compras se refere à economia financeira alcançada em determinadas aquisições.

Um dos principais objetivos da sua utilização é promover uma estratégia para que todos os custos sejam otimizados e, consequentemente, o lucro seja maior. No entanto, trata-se de um indicador extremamente útil para diversos departamentos.

Afinal, cada um deles pode ter seu orçamento (budget) individual — e os gestores são os mais capazes de definir estratégias para economizar no dia a dia de suas próprias equipes.

De forma mais objetiva, um benefício que pode ser notado rapidamente com a adoção desse indicador é a melhora na capacidade de controlar as finanças da equipe ou da empresa como um todo. Os custos diretos e indiretos são tratados de maneira mais transparente e o trabalho dos gestores se torna mais fácil, além de trazer resultados melhores.

Vale destacar que o uso de dados para embasar as tomadas de decisão é uma tendência importante da transformação digital. Então, o saving em compras deve ser considerado um aliado poderoso para quem deseja manter as contas em dia e desenvolver uma produção mais enxuta.

Quais os diferentes tipos de saving?

O saving pode ser dividido em categorias. Uma das vantagens disso é ter uma visão mais detalhada dos custos e, com essas informações em mãos, criar estratégias mais eficientes para aumentar os lucros.

Para começar, temos o saving financeiro. Grosso modo, trata-se do indicador mais amplo, cujo resultado indica o quanto a empresa está salvando em aquisições como um todo. Já o saving ergonômico está relacionado às condições de trabalho dos colaboradores.

Isso nem sempre é levado em consideração quando um plano de Saúde e Segurança do Trabalho é realizado. Contudo, o saving ergonômico tem relação direta com a produtividade, já que um ambiente mais preparado para as atividades ajuda a evitar adoecimentos e afastamentos.

Somado a isso, outro indicador relacionado à gestão de pessoas é o saving de hora-homem. Na prática, ele demonstra o impacto de medidas mais amplas para melhorar a produtividade. Um bom exemplo disso é o mapeamento de processos.

Quando um profissional tem à disposição um documento com o passo a passo das funções que ele deve realizar, o aproveitamento do seu tempo é muito melhor. A implementação desse mapeamento, então, terá um impacto que pode ser mensurado pelo saving.

Um ponto a ser destacado é a relação do saving em compras e a gestão de estoque. Afinal, economizar recursos nesse processo não significa apenas procurar produtos mais baratos. É preciso desenvolver estratégias que otimizem a produção industrial como um todo, tornando a reposição de materiais mais orgânica e fluida.

Como aumentar o saving?

Falaremos, aqui, de algumas práticas que podem passar despercebidas no dia a dia de diferentes departamentos, mas que podem gerar saving, se forem bem planejadas. Os exemplos, por sua vez, baseiam-se em alguns dos principais tipos de saving explicados acima.

Invista em ferramentas melhores

Um time de manutenção tem impacto significativo no desempenho de uma empresa. Mais do que simplesmente manter os equipamentos funcionando, eles preveem falhas e elaboram formas de evitar que elas voltem a acontecer. Quer um desempenho ainda melhor? Então, aumente a eficiência e a proteção desses profissionais.

Com ferramentas que não quebram e que garantem a segurança de quem as está utilizando, a manutenção pode gerar saving ergonômico e financeiro. São menos acidentes de trabalho e afastamentos, por exemplo.

Para complementar, ferramentas melhores duram mais tempo, reduzindo o custo necessário para reposição — o que também será visível no cálculo do saving em compras.

Cuide bem da infraestrutura

Dê a devida atenção ao planejamento de compras de produtos para a infraestrutura da empresa. Materiais elétricos, por exemplo, tendem a representar uma despesa constante. Conforme você investe em uma iluminação que custa um pouco mais caro, mas que traz economia de energia, o saving final pode ser positivo.

É o caso das lâmpadas de LED, por exemplo. O benefício em médio prazo faz valer a pena o investimento. A mesma lógica pode ser aplicada a materiais hidráulicos, de manutenção, e outros.

Conte com fornecedores confiáveis

Um fornecedor que oferece uma boa variedade de marcas e atende com agilidade é um diferencial para quem busca aumentar o saving. Se você tem a opção de fazer compras online, por exemplo, o tempo para organizar os pedidos e enviar pode ser reduzido — o que significa um saving de hora-homem interessante.

Uma tendência que vem ganhando espaço na Indústria 4.0 é a automatização da cadeia de suprimentos. Resumidamente, as empresas compartilham mais dados do seu nível de estoque para que os fornecedores possam atender às suas demandas com ainda mais agilidade.

Uma dica importante é analisar com bastante cuidado seu consumo de itens indiretos — ou seja, aqueles que não são necessariamente matéria-prima para a produção, mas mantêm a empresa funcionando: ferramentas, materiais elétricos, EPIs etc. Em geral, é possível identificar tipos e marcas que atendem melhor à sua demanda e, com isso, conquistar um saving cada vez maior na gestão do estoque.

Agora que você já sabe como funciona o saving em compras, coloque essas dicas em prática na sua empresa. Em pouco tempo, é possível ver os resultados positivos por conta própria!

Se gostou do post, aproveite para se inscrever na newsletter e receba mais conteúdos gratuitos sobre o tema!

Gostou? Compartilhe nas redes sociais!